quarta-feira, 18 de abril de 2018

Mortes Misteriosas de Ufólogos

Mortes Misteriosas de Ufólogos
Olá amigos da Máquina de Mistérios, outro dia me perguntaram se era perigoso pesquisar o fenômeno UFO, eu disse que poderia ser, depende do que se possa descobrir e a quem se possa ameaçar com suas revelações. Nas décadas de 1970 e 1980, alguns pesquisadores do fenômeno UFO começaram a morrer sob circunstâncias misteriosas. As causas das mortes abrangiam desde suicídios improváveis, estranhos desaparecimentos, cânceres súbitos e raros e de desenvolvimento rápido e em lugares do corpo de difícil acesso cirúrgico, assassinatos sem que a polícia conseguisse prender o assassino, até muitos outros tipos de morte provenientes de uma variedade de “causas naturais” que muitas vezes foram provadas terem sido medicamente inconclusivas.
A procura por vida extraterrestre pode levar os pesquisadores muitas vezes se deparar com o acobertamento militar e situações de possíveis riscos. Em vários casos há relatos que supostamente a "vítima" foi contatada por homens de preto, pessoas estranhas e até possíveis agentes do governo.
A lista de mortos é muito grande, não da para colocar todos os casos, então se você é um pesquisador fique atento, nos últimos 10 anos centenas pesquisadores, escritores, cientistas e testemunhas interessadas em ufologia morreram.
Tudo isso pode ser uma coincidência, pois todos um dia iremos morrer, a única certeza da vida é a morte. 
O bom senso comum e a boa lógica devem levar-nos a pensar no que é real ou no que é ficção, pura imaginação ou apenas conspiração. Citei apenas alguns casos (a base deste artigo foi  tirado de um estudo que durou 30 anos, feito por Timothy Hood, um astrônomo amador e ex-conselheiro governamental dos Estados Unidos), tirem suas conclusões.
Apenas alguns casos de mortes misteriosas.
Em de 1977 a 1978, no município de Colares, a Força Aérea Brasileira realizou uma ação chamada Operação Prato com o objetivo de observar e registrar alguns fenômenos aéreos e manifestações que estavam acontecendo na região. Colares é um município do estado do Pará, no litoral da baía de Marajó, na microrregião do Salgado, mesorregião do Nordeste Paraense. O município tem cerca de 11 mil habitantes e 613 km² e foi criado em 1961.
                           
O Coronel Uyrangê Hollanda Lima, que na época da Operação Prato era Capitão, dizia que, apesar de acreditar na vida extraterrestre não acreditava ser esse o caso dos registros visuais em Colares.
Em seu relatório final, o capitão Hollanda Lima, dizia que não havia indícios de seres extraplanetário na cidade de Colares, o que ele negaria depois de supostamente testemunhar aparições também na região. A Força Aérea Brasileira encerrou a operação e solicitou o retorno da equipe. Curiosamente, o coronel Hollanda foi encontrado morto em sua casa no dia 02 de outubro de 1997, dois meses após a entrevista em que desmentiu o relatório da Força Aérea.  O capitão mudou radicalmente a sua opinião durante o tempo em que esteve na região, pois teria visto, filmado e fotografado OVNIS sobrevoando a cidade, próximos aos locais onde sua equipe estava instalada. 
Ufólogos que ficaram amigos do militar afirmam não acreditar que ele tenha realmente cometido suicídio, lançando suspeitas sobre uma conspiração de assassinato.
Todo o material registrado pela sua equipe durante a Operação Prato ficou em posse da FAB, que só começou a liberar os arquivos ao público em 2008.
                                  
Os arquivos até agora liberados mostram que, realmente, os militares presenciaram fenômenos inexplicáveis.
Seria possível o coronel Uyrangê ter sido assassinado, pois sabia demais? Ou teria cometido suicídio? Ou essas histórias não tem lógica e é só especulações.
Sua família nega qualquer tipo de conspiração em torno da morte do coronel, pois durante muito tempo, foram incomodados e desrespeitados com toda essa história. Atestam a veracidade dos contatos da operação prato.
Segue alguns documentos e fotos da Operação Parto:
  


                                    
    
Phil Schneider
Philip Schneider morreu em 17 de janeiro de 1996, supostamente estrangulado por um cateter encontrado enrolado em seu pescoço.
Schneider era um homem bem inteligente. Estudou e se formou em engenharia e geologia,  trabalhou para o Governo Americano durante 17 anos.
As circunstâncias de sua morte parecem muito controversas, antes de sua morte deu diversas declarações públicas que supostamente envolviam o governo dos Estados Unidos numa trama juntamente com alienígenas do tipo GREY.
Philip Schneider nasceu em 23 de abril de 1947, no Hospital Naval de Bethesda nos EUA. Era filho do casal alemão Sally Schneider e Otto Oscar Schneider, um homem que lutou em ambos os lados da 2ª Guerra Mundial. Ele foi originalmente um capitão de U-boat e foi capturado e repatriado para os Estados Unidos. Envolveu-se com diferentes tipos de trabalhos, como a bomba atômica, a bomba-H e o Experimento Filadélfia.
Otto Oscar Schneider
Em 1986, Philip conheceu Cynthia Marie Drayer Simon, com quem se casou em 1987 em Carson City, Nevada.
Em setembro daquele mesmo ano nasceu a filha do casal Marie Schneider.
Schneider não era um homem fácil de lidar devido a seus problemas de saúde. Phil tinha uma placa na cabeça, utilizava cadeira de rodas, cateteres, fraldas e outros acessórios médicos.
Schneider então, junto com a amigo Rum Rummel, que também trabalhou durante muito tempo no Governo Americano, começaram a publicar uma revista chamada "The Alien Digest", destinada a falar da relação do Governo com os Extraterrestres.
The Alien Digest
 Rum Rummel publicava os artigos na revista com o codinome de Creston.
Rum Rummel
A revista deixou de ser publicada em 1993 quando Rum Rummel, foi encontrado morto em um parque devido com um tiro na cabeça. Causa da morte: “suicídio”. Phil estava convencido de que seu amigo não havia cometido suicídio, mas que havia sido assassinado.
Em 1993 morreu também seu pai, Otto Oscar Schneider. Philip foi a sua casa e encontrou algumas cartas de Otto para ele no porão.
Otto Oscar Schneider
Estas cartas trariam a confirmação da verdade sobre seu passado e também confirmariam a existência do Experimento Filadélfia.
Separado da mulher, com câncer, dores crônicas e tendo perdido seu pai e o grande amigo Rum Rommel, Schneider então tomou uma decisão que sabia que teria um final trágico. Resolveu fazer conferências pelos EUA contando o que ele fez nos 17 anos que trabalhou para o governo.Basicamente, o que Schneider falava nessas conferências era:
- O Governo Federal  possui relações com extraterrestres há muito tempo, com o intercambio e informações entre os dois lados
- Existência de um Orçamento Negro dos EUA que é usado para financiar projetos secretos
- A existência de 129 bases subterrâneas nos EUA, e que essas bases são basicamente grandes cidades subterrâneas conectadas por trens de levitação magnética de alta velocidade que se movem até uma velocidade de Mach 2
- Que ele matou dois extraterrestres do tipo Grey enquanto trabalhava na construção da base Dulce
- Há uma guerra ocorrendo no subsolo entre os ETs e os seres humanos
- Que pessoas que não concordam com o governo federal e a Nova Ordem Mundial serão presas.
- Sobre o programa Star Wars
- A Verdade Sobre os Helicópteros Negros
- A AIDS foi inventada nos EUA como arma biológica
- O Governo Federal inventou um dispositivo para terremotos (lembrando que Tesla inventou uma “máquina de terremotos”)
Phil Schneider acreditava que o governo dos EUA havia construído desde a Segunda Guerra Mundial, muitas bases secretas, ele afirmou ter trabalhado em 13 bases. Duas dessas bases eram importantes, incluindo a facilidade de bioengenharia em Dulce, NM At Dulce. Schneider afirmava que, os GREYS - extraterrestres humanoides cinzas trabalhavam lado a lado com técnicos americanos. 
Dulce, Novo México, a qual é provavelmente a base mais profunda existente. Ela tem 7 níveis e desce por mais de 4 quilômetros de profundidade. Naquele tempo, nós tínhamos escavado 4 buracos distintos no deserto, e iríamos conectá-los e explodir grandes seções. Meu trabalho era descer nos buracos, checar as amostras de pedras e recomendar o tipo de explosivo a ser usado nessas pedras. Certa vez quando estavamoss descendo, nós nos encontramos em uma enorme caverna que estava cheia de alienígenas, conhecidos como "Grandes Greys"(+ 2 metros de altura).
                               
Dulce, NM At Dulce
                               
 Para ilustrar a figura de um E.T Gray
No momento houve um mal-entendido com um tiroteio subsequente, 66 Secret Service, FBI e Black Betes foram mortos junto com um número não especificado de alienígenas Greys (cinzas). Nessa ocasião Phil foi atingido por uma explosão de arma de fogo no peito que causou um câncer posteriormente.
Se Schneider está dizendo a verdade, em suas palestras, ele obviamente quebrou o código de silêncio imposto ao qual todo o pessoal principal do orçamento preto está sujeito. A pena por esse erro é presumivelmente a morte. Schneider, chegou a dizer que sofreu um atentado, sustentou que inúmeras tentativas anteriores foram feitas em sua vida, incluindo a remoção de porcas de uma das rodas dianteiras de seu automóvel. Ele declarou publicamente que era um homem marcado para morrer e não esperava viver muito mais (obs: ele estava com câncer e muito doente).
Roupa térmica similar a utilizada por Philip durante o confronto, segundo Schneider
Alguns estudiosos mais céticos dizem que essa história de Schneider não passa de uma grande mentira, uma bobagem para se promover. Dizem que nao existem provas.

Ron Rummel
Em 6 de agosto de 1993 morre Ron Rummel, ex-agente de inteligência da força aérea e editor da revista Alien Digest. Quatro edições de 25 páginas de “The Alien Digest” foram publicadas no início dos anos 90 como parte das publicações The Cosmic Voyage da Igreja Aquariana do Serviço Universal, PO Box 1116, McMinnville, Oregon 97128. Copyright 1990-1991 — As publicações terminaram abruptamente devido à inesperada morte do autor, Ron Rummell (Creston) em 6 de agosto de 1993.
     
Alien Digest
Rummel, segundo a polícia, cometeu suicídio com um tiro na cabeça (alguns dizem que foi um tiro na boca). Os amigos dizem, no entanto, que nenhum sangue foi encontrado no cano da pistola e o punho da arma estava livre de impressões digitais. Além disso, de acordo com a informação que circulou, a nota de suicídio deixada pelo falecido foi escrita por uma pessoa canhota (pessoa que escreve com a mão esquerda) e Rummel era destro (pessoa que escreve com a mão direita). Muito estranho.
O transpiração no corpo cheirava a pentothal de sódio, também conhecido como soro da verdade. Vários cientistas testaram o pentothal em espiões, pacientes psiquiátricos, mulheres grávidas e criminosos suspeitos.
A revista de Ron Rummel estava abordando questões delicadas, como o aspecto predador / presa da relação alienígena / humana e o uso de seres humanos como alimentos e partes do corpo recicláveis. Será que Rummel falou demais? Lembrando que um dos amigos de Rummel era Phil Schneider, e os dois estavam trabalhando no mesmo projeto. Seria outra história sem lógica?
Dr. John E. Mack
Dr. John E. Mack, eminente psiquiatra de Harvard e ganhador do Prêmio Pulitzer, morreu em Londres (2004) após ser atingido por um motorista bêbado que mais tarde, aparentemente, foi considerado culpado e preso, embora tenha havido muito pouca cobertura do caso pela imprensa. 
Ainda há aqueles que acreditam que sua morte tenha sido suspeita, pois pareceu conveniente demais: Dr. Mack tinha se tornado o objeto de uma revisão sem precedentes de 14 meses pela Escola de Medicina da Harvard, durante a qual seus métodos controversos de pesquisa dos assim chamados “abduzidos por alienígenas” foram investigados. 
Escola de Medicina da Harvard
Após publicar seu livro, “Abduction: Human Encounters with Aliens” (Abdução: Encontros Humanos com Alienígenas – trad. livre n3m3), em 1994, a Universidade considerou censurá-lo e revogar seu cargo, embora finalmente uma declaração foi emitida, confirmando “a liberdade" acadêmica do Dr. Mack, de estudar o que for de seu interesse e de declarar sua opinião, sem impedimento.
Infelizmente, sua liberdade não o beneficiou muito, pois ele morreu logo depois. Teria sido vítima de queima de arquivo ou simplesmente foi morto por um acidente como muitos que acontecem? Vamos pensar, não vamos tomar conclusões fora da realidade.
Ann Livingston

Uma morte muito estranha é a de Ann Livingston, uma contabilista, mas que também era uma investigadora da MUFON que morreu no início de 1994 de câncer no ovário e de uma forma muito rápida. 
MUFON - Mutual UFO Network, é uma das maiores e mais antigas organizações investigativas dos Estados Unidos sobre a questão dos UFOs ou objetos voadores não identificados.
Livingston publicou um artigo intitulado "Assédio eletrônico e abduções alienígenas" no jornal MUFON de novembro de 1993. O artigo foi altamente crítico de Julianne McKinney, diretora do Projeto de Vigilância Eletrônica da Associação de Alunos da Segurança Nacional. McKinney acredita que os fenômenos UFO é na maioria das vezes um tipo de experimento governamental, seja na forma de maquinaria experimental ou psicologia experimental.
Alguns fatos que parecem relevantes para o caso se destacam. Às 7:15 da manhã, 29 de dezembro de 1992, o apartamento de Livingston perto do aeroporto de O'Hare, em Chicago, Illinois, foi iluminado por uma luz muito forte. Ela foi abordada mais tarde, no mesmo dia, enquanto estava no estacionamento de seu apartamento por 5 MIBs (Homens que se vestem com roupa preta), que descrevia como quase sem face e carregando objetos longos e semelhantes a uma lanterna. 
Ela ficou inconsciente. Seria possível que esses homens tiveram algo a ver com o câncer de ovário que avançou rapidamente?
Não é um fato bem conhecido que Ann Livingston já havia sido abduzido anteriormente. Sua amiga, Fran Heiser, afirmou que Ann Livingston conheceu duas pessoas bonitas, um homem e uma mulher, em uma viagem anterior ao México. Para a surpresa de Livingston, o homem disse a ela que a jovem atraente que ela conhecia era na verdade sua filha. Várias pessoas no mundo morrem de câncer, então seria uma conspirações ou apenas mais uma vítima do câncer?
Max Spiers
Max Spiers era um investigador de teorias conspiratórias. Dava palestras sobre fenômenos UFO e se metia em todo tipo de investigação estranha.
Max viveu na América há alguns anos, mas tinha retornado à cidade para ficar um tempo com sua mãe, antes de partir para a Polônia.
Max estava trabalhando com o escritor de ficção científica Madlen Namro e Monika Duval, que estavam com ele na Polônia no período de sua morte.

Max com o escritor de ficção científica Madlen Namro e Monika Duval
                         
Um belo dia ele avisou à mãe: “Seu filho está com problemas, se algo de ruim acontecer comigo, investigue”.
Logo depois, ele morreu. De fato, a sensação que a morte de Max Spiers causou é de alguém que foi eliminado. Spiers estava na casa de amigos quando do nada, vomitou uma gosma preta e morreu ali mesmo.
A morte do teórico da conspiração
Segundo o Daily Mail (O Daily Mail é um jornal britânico, um tabloide, publicado inicialmente em 1896. É o jornal britânico mais popular depois do The Sun). Max Spiers, tinha 39 anos e dois filhos e era de Canterbury, mas foi encontrado morto na Polônia quando viajou ao país para falar sobre teorias da conspiração e Ovnis.
Estranhamente neste caso não foi realizada uma necrópsia para determinar a causa de sua morte. Ele pode ter sido envenenado, mas apesar disso, os médicos apenas atestaram que ele morreu de causas naturais.
Nada impede que realmente Spiers tenha morrido de causas naturais. Pessoas morrem de diversas causas a cada minuto pelo mundo e uma significativa parcela dessas mortes são de causas naturais, como embolias, derrames, infarto e outros. Ele pareia ser saudável o que intriga é o fato de o próprio Max avisar sua mãe antes da morte isso levanta a suspeita de que talvez o teórico da conspiração tenha sido assassinado. Max estava construindo uma boa reputação no mundo dos teóricos da conspiração e que por isso tinha sido convidado para falar em uma conferência na Polônia. Durante aqueles dias, Max esteve com uma mulher desconhecida, que nenhum dos amigos se lembrou de muitos detalhes, e que teria sido ela que o encontrou caído no sofá, já morto.
É possível que Max tenha bebido muito e morrido em decorrência de asfixia de vômito. Poderia Max, em sua ânsia para construir uma boa reputação de investigador da conspiração, ter, de alguma forma, conseguido documentos sigilosos que seriam praticamente uma sentença de morte para quem os possuísse? Não sei.   
Danny Casolaro
Danny Casolaro, morreu em 1991, supostamente suicidou-se. Era um repórter investigativo que pesquisou o roubo do software Project Promise, um programa capaz de rastrear qualquer um em qualquer lugar do mundo, também estava investigando vários casos envolvendo UFO, Área 51 e bioengenharia governamental.
A Área 51 é uma área de aproximadamente 1552 Km no Condado de Lincoln, Nevada. Faz parte da Nellis Air Force Range (NAFR).
Imagens do Google Earth puderam mostrar mais sobre as pistas de pouso do complexo. A pista de pouso do local é a 14L/32R, construída na década de 1990, medindo 3651 x 61 m.
A Área 51 faz divisa com o Nevada Test Site (NTS), local de testes nucleares. A Montanha Yucca, depósito nuclear, fica aproximadamente a 64 quilômetros a sudoeste do lago Groom.
A base teve sua existência confirmada e admitida apenas em 1994, entretanto, não é a única base secreta norte-americana, existem outras ainda não admitidas pelo governo, por questões de Estado, mas é uma das principais bases secretas de pesquisas de armas nucleares, bacteriológicas, químicas, hidrogênicas entre outros tipos de armas secretas.
Sempre que morre um pesquisador, logo aparece uma teoria de conspiração.
Brian Lynch
Brian Lynch, jovem psíquico e contatado, morreu em 1985, supostamente de uma overdose de drogas. De acordo com a irmã de Lynch, Geraldine, Brian foi abordado aproximadamente um ano antes de sua morte por um agente de inteligência trabalhando para uma empresa de Austin, Texas, PSI-tech.
Após sua morte, Brian Lynch, entre seus pertences pessoais foi encontrada uma frase que dizia: “cinco milhões do Pentágono para o Projeto Scanate”. 
Originalmente chamado SCANATE ou “escanear por coordenadas”, o Projeto Stargate foi o codinome do projeto Scanate, financiado pela Agência Central de Inteligência (CIA).
Este projeto foi criado em resposta a relatórios de inteligência de que a União Soviética estava envolvida em pesquisa psíquica, segundo a Federação de Cientistas Americanos (FAS). O Stargate, que recebeu outros tantos codinomes entre 1972 e 1995, empregava “visão remota”, uma técnica que usa poderes da mente para ver cenas e indivíduos distantes. Pretendiam conseguir esse feito através de pesquisas com suas cobaias, pessoas que supostamente dominavam algo que atualmente é bem conhecido, a chamada Projeção Astral. Seria verdade ou apenas mais conspirações?
                             
DON ELKINS
Don Elkins nasceu em Louisville, Kentucky em 1930.
Ele possuía bacharelado e mestrado em engenharia mecânica pela Universidade de Louisville, bem como mestrado em engenharia geral pela Speed ​​Scientific School. 
Speed ​​Scientific School
Ele foi o fundador e chefe do departamento de engenharia mecânica da Universidade do Alasca em 1960-61, e foi professor de Física e Engenharia na Universidade de Louisville por doze anos, de 1953 a 1965. Em 1965, ele deixou seu cargo como professor efetivo e tornou-se um piloto do Boeing 727 para uma grande companhia aérea, a fim de dedicar-se mais plenamente à pesquisa de OVNIs e paranormais. Ele acabou se tornando capitão e voou até sua morte em 1984, também serviu com distinção no Exército dos EUA como sargento-mor durante a Guerra da Coréia.
Antes da organização ser assim chamada, Don começou o trabalho de L / L Research solo em 1955. Entre suas áreas de foco, ele usou a hipnose de regressão de idade para pesquisar reencarnação, conversou e visitou abduzidos e contatados por UFOs em todo os Estados Unidos, frequentemente pilotando seu próprio pequeno avião, investigou as muitas áreas do estudo paranormal, e correspondeu-se e visitou uma ampla variedade de estudiosos, pesquisadores, experimentadores, abduzidos e muitos outros que desafiaram a categorização ao longo de sua carreira muito ativa como pesquisador. Don, juntamente com sua parceira, Carla, publicou algumas dessas pesquisas sobre OVNIs no livro Secrets Of The UFO, em 1976.
Em 1962, Don iniciou uma experiência de canalização usando os protocolos que aprendera de um grupo de contatados em Detroit, Michigan. 

Michigan
Esse experimento floresceu no que se tornou o principal esforço da Pesquisa de L / L: coletar e compartilhar informações para o avanço espiritual de toda a humanidade. Sua experiência, por assim dizer, continua em uma linha ininterrupta hoje através de nossas meditações semanais, onde trabalhamos com meditação silenciosa e canalização.
A Lei de Um material representa a maior conquista da vida e do trabalho de Don, juntamente com seus outros dois colegas de pesquisa, Carla L. Rueckert e Jim McCarty. 

    Carla L. Rueckert     
                                 
          Jim McCarty

Deck Slayton
Donald Kent 'Deke' Slayton foi um astronauta dos Estados Unidos, integrante do primeiro grupo de astronautas selecionados pela NASA, em 1959, para o pioneiro programa espacial conhecido como Projeto Mercury, criado para colocar um norte americano no espaço.
Selo lançado em homenagem ao Projeto Mercury
Nascido no estado de Wisconsin, no interior do país, Donald Slayton entrou para a Força aérea dos Estados Unidos em 1942, aos 18 anos, e lutou na segunda Guerra Mundial nos céus da Europa, como piloto de bombardeiros B-25. Depois do conflito, formou-se em engenharia aeronáutica pela Universidade de Minnesota e continuou na carreira militar como piloto da US Air Force, até entrar para a NASA em 1959.
Dos sete homens selecionados para o programa, entretanto, 'Deke' Slayton foi o único a não subir ao espaço, nesta primeira fase das viagens espaciais americanas, por problemas de saúde.
Deck Slayton, o astronauta, estava supostamente pronto para falar sobre suas experiências de UFO e lançar um livro, mas morreu devido a um câncer na boca. Mais uma vítima de câncer.
Alguns casos de misteriosas mortes resumidos
Dean Stonier
Dean foi o organizador e promotor do Congresso Global de Ciências, que ao longo dos anos hospedou muitos pesquisadores, incluindo Phil Schneider e Al Bielek, o único sobrevivente da Experiência de Filadélfia. Dean morreu de um ataque cardíaco em agosto de 2001, apenas alguns meses após o Denver Global Sciences Congress.
Jim Keith morreu em 1999. Autor de muitos livros, incluindo Mind Control, World Control. Jim morreu no hospital durante a cirurgia para reparar uma perna quebrada que ele quebrou enquanto participava do infame Burning Man Festival em Nevada. Parece que um coágulo de sangue foi liberado durante a cirurgia e chegou ao coração causando edema pulmonar.
11 dos principais microbiologistas do mundo morreram repentinamente:
Quem eles eram:
1. 12 de novembro de 2001:
Benito Que foi, supostamente, espancado em um estacionamento de Miami e morreu mais tarde.
2. 16 de novembro de 2001:
Don C. Wiley foi encontrado em 20 de dezembro. Os investigadores disseram ter ficado tonto em uma ponte de Memphis e caiu em rio e morreu afogado. Pode ter sido um acidente.
3. 21 de novembro de 2001:
Vladimir Pasechnik , ex-microbiologista russo de alto nível que desertou em 1989 para o Reino Unido, aparentemente morreu de um acidente vascular cerebral
4. 10 de dezembro de 2001:
Robert M. Schwartz foi esfaqueado até a morte em Leesberg, Virgínia. Três satanistas foram presos.
5. 14 de dezembro de 2001:
Nguyen Van Set morreu em uma câmara de ar cheia de nitrogênio em seu laboratório em Geelong, na Austrália.
6. 9 de fevereiro de 2002:
Victor Korshunov foi encontrado morto em sua casa em Moscou.
7. 14 de fevereiro de 2002:
Lan Langford foi encontrado parcialmente nu e preso sob uma cadeira em Norwich, na Inglaterra.
8. 9. 28 de fevereiro de 2002:
A residente de São FranciscoTanya Holzmayer, foi morta por um colega de microbiologiaGuyang Huang, que atirou nela enquanto ela pegava uma pizza e depois se matou.
10. 24 de março de 2002:
David Wynn-Williams morreu em um acidente de avião perto de sua casa em Cambridge, Inglaterra.
11. 25 de março de 2002:
Steven Mostow, do Colorado Health Sciences Center, morto em um avião que estava voando perto de Denver. 
Há muitas conspirações nesse universo ufológico, mas nem tudo é verdade.
Obrigado por curtirem Máquina de Mistérios, se gostaram, divulguem para seus amigos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fábrica de Disco Voador?

Fábrica de Discos Voadores: a evolução Outro dia recebi umas fotos de supostos discos voadores e percebi que nas fotos mais antigas...