quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

Óvnis em Mongaguá ?


Óvnis em Mongaguá?
Mapa Mongaguá
Mongaguá é uma palavra indígena que significa “água pegajosa”,  "enseada substância pegajosa" (monga, "substância pegajosa" + kûá, "enseada").  Outros nomes também foram atribuídos à região, tais como: "Terra dos Santos dos Milagres", "Terra dos Padres" e "Rio Fantasma". Nome dado pelos índios guaranis que viviam às margens dos rios Mongaguá e Aguapéu, esses nomes foram dados provavelmente em função de fenômenos e lendas da região. No século XVI, segundo historiadores, emissários de Martim Afonso de Souza, em suas viagens pelo litoral paulista, paravam em Mongaguá para descansar. Aos poucos, foram surgindo moradores fixos e, consequentemente, as primeiras propriedades. Parte do território atual de Mongaguá situava-se, naquela época, na Capitania de São Vicente e outra na Capitania de Itanhaém.
Em 31 de Dezembro de 1959 o governador, Dr. Jânio da Silva Quadros, assinou a Lei e Mongaguá foi elevada à categoria de Cidade, pela criação do Município. Em 1977, Mongaguá passou à categoria de Estância Balneária, pela Lei Estadual 1.482, publicada no Diário Oficial, no dia 7 de dezembro de 1977. A Topografia é de 60% planície e 40% planalto a altitude em terreno plano nas zonas urbanas e rurais é de apenas 2 metros em relação ao nível do mar.
Óvnis em Mongaguá?
Há muito tempo temos vários relatos de aparições de óvnis e seres estranhos no nosso litoral Sul Paulista. Há inclusive publicações em revistas e livros que tratam do assunto ovni também temos muitos relatos de avistamentos de naves e seres em Mongaguá.  Conheci o Fábio que é filho de um amigo, o Zé Tallone, um conhecido baterista de uma banda de rock da cidade, o Fábio me mostrou uma foto com duas imagens de luzes com formato de discoide, então fui pesquisar.
 A Foto
Foto ampliada - Crédito de Fábio de Oliveira Tallone
Mongaguá, 17 de setembro de 2018 – 00:28, era uma noite agradável e o céu estava limpo, a temperatura estava em torno de 19 graus, quando o  estudante Fábio de Oliveira Tallone de 18 anos, mira seu celular, um Galax A5, em direção ao céu acima da mata da pedreira de Mongaguá, que fica a aproximadamente 1 km de sua casa e fotografa aleatóriamente. Ao verificar se a foto ficou boa, ele percebeu que ao fundo, sobre a mata, acima de um lago que existe lá, haviam duas luzes estranhas que foram registradas em seu celular, foi então que para sua surpresa percebeu a semelhança das luzes com ovnis.
Segundo o site http://www.astrope.com.br/fases-da-lua-em-setembro-de-2018/ na quinta feira, 17 de setembro de 2018 a Lua alcançou à fase Quarto Crescente em 16 de setembro de 2018, às 20h e 14min (UTC -3). A distância que nosso satélite natural estava em relação à Terra era de 398.837 quilômetros. A Lua Quarto Crescente estava entre as estrelas da constelação de Ofiúco. Abaixo temos duas fotos, que foram tiradas da janela do quarto, uma a noite e outra de dia com vista para a pedreira desativada.
Esta Foto foi tirada da mesma posição, porém de dia para podermos ter idéia da distância daquela montanha ao fundo, onde a mata é bem fechada e fica na Pedreira desativada
A Pedreira de Mongaguá
Fundada em 09/05/1968 no Município de Mongaguá – SP e localizada na  Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, Km 304 , a Pedreira de Mongaguá extrai, beneficia e classifica Pedra Britada. A pedreira fica numa região de mata Atlântica, próximo ao poço das antas, um ponto turístico para quem aprecia a natureza e lindas cachoeiras.
A direita, temos a pedreira desativada e o lago, a esquerda podemos ver
a pedreira atual e ao final da estrada o poço das Antas.
A pedreira ocupa duas áreas, uma em total produção e a outra área desativada onde existe um portão de ferro para impedir a entrada de turistas e curiosos pois trata-se de propriedade privada.
Ao chegarmos no setor da Pedreira desativada já vemos esta placa
Na área desativada existe um lago e um grande paredão de rocha com aproximadamente 100 metros de altura onde ao subirmos vemos do topo do morro uma grande parte do centro da cidade, é um local belíssimo onde podemos nos deparar com vários animais como macacos, veados, bicho preguiça, cachorros do mato, diversos tipos de aves, cobras e outros.
Paredão rochoso
Lago
Visão de parte da cidade vista do pico do morro da Pedreira desativada
Que material é extraído da Pedreira?
A extração de brita é a principal atividade. A brita é um tipo de pedra com várias classificações, tem muitas aplicações e diferentes tipos indicações para cada situação. É utilizada desde na fabricação de concreto até a construção de grandes edificações e obras como barragens e ferrovias. Esse material é utilizado na fabricação de concreto, na pavimentação de rodovias e na construção de edificações e grandes obras, como barragens e ferrovias.
Brita 0
A brita número 0 é também conhecida como pedrisco e é a matéria prima para a fabricação de blocos de concreto, por exemplo.
Brita 1
A brita número 1 é o tipo mais usado pelas construtoras
Brita 3
Por ser maior, a brita número 3 não é usada em processos normais de construção, mas em obras de base, como aterramento, nivelamento ferroviário e instalação de drenos
Visitando a Pedreira de Mongaguá
Na noite de 20 de dezembro de 2018 eu e o Fábio Tallone fomos à Pedreira, por volta das 22:35 hs da noite, para conversar com os vigias noturnos, por motivos de preservação da identidade não divulgarei o nome deles. Um dos vigias tem 15 anos trabalhando na Pedreira e o outro, o Sr. José (nome fictício) tem mais de 30 anos como vigilante noturno na empresa e nos confidenciou que já viu luzes “diferentes” no céu, mas que não presta atenção, pois acha normal.  
Vigília Ufológica
Vista de parte da cidade do alto da pedreira
Vista de parte da cidade do alto da pedreira
Primeiramente quero agradecer à presidência da Pedreira e a todos os colaboradores da Pedreira que com muito respeito ao nosso trabalho de pesquisa nos permitiram fazer uma vigília ufológica na pedreira desativada, na noite de 2 de fevereiro de 2019 e em especial ao Rodrigo que foi muito atencioso.
Na noite da Vigília, o céu estava parcialmente limpo, com algumas nuvens, a lua estava minguante e por volta das 04:00 da manhã tivemos um avistamento de uma luz muito forte que cruzou o céu em altíssima velocidade e muito alto em direção ao mar, completamente fora da rota dos aviões, a luz tinha um formato esfera e rapidamente sumiu numa nuvem.
Semelhança das Luzes fotografadas
Observem a semelhança da foto das luzes em Mongaguá tirada em 2018 e a foto tirada na operação prato em Colares nos anos de 1977 e 1978. Seriam realmente ovnis?
Foto ampliada das Luzes registrada em Mongaguá 2018
Fotos de Luzes registradas na Operação Prato data 1977 e 1978
Operação Prato
Operação Prato foi um dos eventos mais importantes da casuística ufológica, por ter sido realizada pela Força Aérea Brasileira no norte do Brasil, no estado do Pará e Maranhão em Colares nos anos de 1977 e 1978.
Vários municípios destes estados foram palco de estranhos objetos luminosos que atingiam feixes de luz, que segundo relatos de moradores e da Imprensa local sugavam pequenas porções de sangue de suas vítimas. Este fenômeno foi chamado de “aparelho”, “chupa-chupa” ou “luz vampira”.
As autoridades locais procuraram ajuda militar. Em agosto de 1977, o chefe da 2ª Seção do I COMAR – Comando Aéreo Regional do Pará, o coronel Camilo Ferraz de Barros com o aval dos brigadeiros Protásio Lopes de Oliveira e João Camarão Teles Ribeiro, criaram a “Operação Prato” designando o capitão Uyrangê Bolívar Soares Nogueira de Hollanda Lima para o comando daquela equipe de investigação. Existe um farto e detalhado material de informação disponível na internet, vale a pena pesquisar.
Essas luzes seriam um reflexo qualquer?
Fizemos uma série de fotos durante alguns dias alternados, para ver se a luz fotografada pelo Fábio poderia ser Lens Flare, e o resultado foi que não saiu nenhuma luz nessas imagens, apenas o escuro do céu acima da Pedreira, essas fotos foram feitas com o mesmo celular do Fábio e nas mesmas condições de posição, distância e iluminação da foto em que aparecem as duas luzes. Outra situação é que uma senhora que mora nos arredores da Pedreira me confirmou a existência de fenômenos luminosos que acontecem a noite na região.
O que é Lens Flare?
Reflexo de lente refere-se a um fenômeno em que a luz é espalhada ou queimada em um sistema de lente frequentemente em resposta a uma luz brilhante, produzindo um artefato indesejável na imagem. Isto acontece através da luz espalhada pelo próprio mecanismo de criação de imagens, por exemplo, através da reflexão interna e dispersão das imperfeições do material na lente. Lentes com grande número de elementos, como zooms, tendem a exibir maior reflexo de lente, pois contêm um número relativamente grande de interfaces nas quais pode ocorrer dispersão interna. Esses mecanismos diferem do mecanismo de geração de imagem focalizado, que depende dos raios da refração da luz do próprio sujeito.
Flare se manifesta de duas maneiras: como artefatos visíveis e como uma névoa na imagem. A névoa faz com que a imagem pareça “lavada”, reduzindo o contraste  e a saturação de cor (adicionando luz a regiões escuras e adicionando regiões brancas  a saturadas, reduzindo a saturação). Artefatos visíveis, geralmente na forma da íris da lente, são formados quando a luz segue um caminho através da lente que contém um ou mais reflexos das superfícies da lente.
Flare é particularmente causado por fontes de luz muito brilhantes. Mais comumente, isso ocorre ao fotografar o sol (quando o sol está no quadro ou a lente está apontada na direção do sol) e é reduzido usando um para-sol ou outra sombra.  Para sistemas ópticos de boa qualidade e para a maioria das imagens (que não tem uma luz brilhante na lente), o reflexo é um efeito secundário que é amplamente distribuído pela imagem e, portanto, não é visível, embora reduza o contraste.
Abaixo segue alguns exemplos de Lens Flare, observem como a luz , quase sempre “explode” visualmente, também pensem na semelhança das luzes fotografadas na operação prato, um abraço e tirem as sua conclusões.











Fotografia do Lander lunar da Nasa que contém alargamento da lente. Além do clarão óbvio em torno do sol, os artefatos de luz no canto inferior direito também são causados por reflexos.









Exemplo de reflexo de lente artificial, como pode ser usado em um filme de animação ou de vídeo game.








Renderização de reflexo de lente high-end usando uma técnica










O clarão da lente é extremamente difícil de controlar quando uma fonte de luz brilhante como o sol está fora do quadro.









Quando o assunto de uma foto é a própria fonte de luz, o reflexo de lente pode ser um efeito desejável e dramático.









Reflexo de lente usado para capturar detalhes de motivo muito brilhante (eclipse solar parcial)
Reflexo de lente – o sol está fora do quadro








Reflexo de lente comumente associado ao uso de lentes anamórficas que são frequentemente usadas na produção de filmes.



www.maquinademisterios.com.br

3 comentários:

O Caso Regina em Itapetininga SP – Ano 1971 Itapetininga Itapetininga está localizada no sul da região sudoeste do estado de São P...